Amor Fraternal Capitulo 1

Amor Fraternal Capitulo 1

In HurtComfort

Amor Fraternal

By

 Dra: Grace Trevelyan

50 tons de cinza Fanfiction 

 Capitulo 1

– Você acha que ele pode estar afundando em um estado depressivo? – Eu perguntei a Elliot, preocupada com o que ele estava me contando sobre Christian.

– Bem, eu não poderia dizer com certeza, mamãe. Você conhece Christian, ele nunca se abre, não é? Tudo o que sei é que quando fomos caminhar hoje, ele não quis falar sobre ele de jeito nenhum. Eu tentei convencê-lo a sair para tomar uma bebida mais tarde para relaxar, mas como de costume, ele disse que estava muito ocupado. Ele parece…. preocupado com alguma coisa.

– Talvez eu devesse ligar para ele… – Eu ponderei.

– Ele vai lhe dizer que está bem, mãe. É só quando você realmente vê-lo, sabe?

– Hmm, sim, eu sei que você quer dizer. Eu não o vejo há quase duas semanas… talvez eu devesse aparecer sem avisar, assim ele não poderá me enganar.

– Bem, isso não é uma má idéia. Sendo assim, você poderá avalia-lo adequadamente. Ele não será rude com você do jeito que é comigo. Eu sei que ele estará em seu apartamento amanhã de manhã.

– Talvez eu possa aparecer por acidente, e insistir em levá-lo para almoçar.

– Isso seria ótimo, mãe. Eu me sentiria muito mais feliz em saber que você analisou ele. Mas eu deveria ir mais cedo, só para ter certeza de que você irá encontrá-lo.

– Sim, isso é o que vou fazer então. E obrigada Elliot, por ser um irmão tão carinhoso e preocupado com Christian, eu sei que ele nem sempre faz com que as coisas sejam fáceis para você.

~~~

Assim, na manhã seguinte eu fui para o luxuoso apartamento na cobertura do meu filho mais novo. Não havia dúvida de que Christian era um jovem extremamente bem sucedido e extremamente rico agora. Mas ele estava feliz? Será que ele nunca será capaz de encontrar qualquer tipo de satisfação pessoal e agir como o jovem de 27 anos que ele foi, ao invés de um magnata de negócios frio de meia idade?

Dado ao seu terrível, abusivo e prematuro começo de vida, não é de se admirar que Christian foi um jovem tão complexo e difícil. Eu nunca vou esquecer o dia em que ele foi levado para o hospital, eu era a doutora de plantão no Centro de Proteção da Criança do Hospital Infantil de Michigan.

Ele estava quase morto, de tão desidratado e magro. A polícia acreditava que ele tinha sido deixado sozinho, trancado em um apartamento na favela com o corpo de sua mãe durante vários dias depois que ela morreu, sem nada para comer ou beber. Ela era uma viciada em drogas, que se voltou para a prostituição para financiar seu vício em crack. Seu filho tinha sido claramente negligenciado e abusado, se não mais, nos quatro curtos anos de sua vida que passou com ela. Seu cafetão perverso não tinha dúvida de que era inapropriado ter uma criança por perto para assegurar a clientela de sua mãe prostituta, e tinha jogado sua fúria sobre a pobre criança, espancando-o e o atormentando.

Fiquei doente só de pensar o que esse menino passou. Mas mesmo em seu estado terrivelmente negligenciado, ele era uma criança tão linda. Ele tinha um tufo de cabelo escuro rebelde, olhos cinza penetrantes e triste, com um rosto de estrutura óssea requintada. Eu acho que sua mãe biológica poderia ter feito uma fortuna, se ela pelo menos tivesse meios de enviá-lo a qualquer agência de modelos, em vez de gastar seu tempo com seu vício, para voltar a um estado de êxtase induzido pelas drogas.

Com certeza Christian deveria ter sido enviado para adoção anos atrás, mas ele era uma daquelas crianças infelizes que passou despercebido, no qual nunca havia sido registrado na rede de assistência social. Eu acho que sua mãe biológica deve tê-lo amado do jeito dela, visto que ela o manteve e tentou cuidar dele, mesmo não sendo capaz.

Eu mal podia conter minha indignação enquanto eu tentava examinar este menino bonito. Ele estava sujo, imundo e suas roupas eram pouco mais que trapos. Ele agarrou-se firmemente ao seu precioso cobertor macio, a única coisa que parecia trazer-lhe qualquer consolo. A enfermeira tentou levá-lo para longe dele porque estava imundo, mas eu lhe pedi para deixá-lo ficar com ele, pois era tudo de mais valioso que ele tinha no mundo.

Eu pude ver que ele tinha queimaduras de cigarro sobre seu peito e costas, bem como numerosos cortes, contusões e outras lesões, prova dos espancamentos brutais que ele havia sofrido claramente durante um longo período de tempo. Ele não suportava ser tocado por qualquer pessoa, e ele estava mudo. Ele nunca falou uma palavra ou fez um som diferente a não ser gritar se fosse tocado ou carregado de qualquer jeito, embora fosse claro que ele entendia o que estava sendo dito a ele.

Fui para casa em lágrimas naquela noite, muito relutante em deixar este pobre menino sozinho no hospital, mas sem escolha. Eu tinha em mente que nós iríamos adotá-lo, de qualquer jeito, e eu implorei para Carrick me apoiar em minha missão. Felizmente, o meu marido é um homem maravilhoso e me apoiou totalmente, uma vez que o informei de todos os fatos horríveis.

Eu era incapaz de ter filhos biológicos, e já havia adotado uma criança, nosso filho Elliot. Ele era um garoto doce, e eu pensei que ele seria capaz de lidar com a adoção de um irmão para ele.

E então adotamos Christian, embora, naturalmente, levou tempo para todo o devido processo legal ser concluído, apesar do fato de já sermos aprovados como pais adotivos. Christian teve que ser colocado com pais temporários, enquanto estas verificações eram feitas, para garantir que ele não tinha parentes vivos, que poderiam ter o direito de adotá-lo se quisessem. Ninguém foi descoberto, de modo que nos foi dada a luz verde. Adotamos Christian, e lhe demos o nosso nome de família Trevelyan-Grey.

As coisas não foram fáceis, e este foi um momento muito difícil. Logo ficou claro que ele era um menino extremamente brilhante e inteligente, mas ele ainda não falava. Em vez disso, ele nos avisava o que queria acenando, balançando a cabeça ou apontando para o que ele queria.

Ele sofreu os mais terríveis pesadelos que o fazia acordar encharcado de suor e gritando de forma horripilante. Ele ainda não suportava ser tocado, segurado ou abraçado, mas eu costumava me deitar ao seu lado na cama para acalmá-lo, suavemente sussurrando e cantando para ele e acariciando seu cabelo. Eventualmente, ele voltava a dormir.

Finalmente tivemos uma surpresa com ele, quando Christian tinha cerca de seis anos de idade. Eu gosto de tocar piano, e tocava músicas para os meninos, na esperança de que isso pudesse encorajar Christian a encontrar sua voz e participar. Elliot participava por um tempo, mas depois se cansava e corria para brincar com outra coisa. Mas Christian se sentava ao meu lado no banco do piano e assistia minhas mãos sobre as teclas, claramente fascinado.

– Você gostaria que eu o ensinasse, para você aprender a tocar sozinho? Eu timidamente sugeri. Fiquei emocionada quando, depois de pensar sobre isso por um minuto ou dois, ele acenou com a cabeça e me deu um pequeno sorriso.

Então eu o fiz, e desde o início ele claramente adorou. Depois de apenas algumas sessões, ele aprendeu tão rapidamente que era óbvio que ele tinha um talento natural. Nós encontramos uma professora de piano adequada para ele, e a Srta. Kathie disse que ele era o aluno mais talentoso que ela já havia ensinado. E, finalmente, Christian relaxou o bastante para começar a sussurrar algumas palavras para nós.

Então adotamos Mia para completar a nossa família. Ela tinha sido abandonada por sua mãe biológica adolescente quando era apenas um bebê, portanto, conseguimos adotá-la quando ela tinha seis meses. Nós pensamos muito se essa era a coisa certa a se fazer, visto que já tínhamos nossos dois meninos, um dos quais tinha necessidades especiais.

No final, decidimos que tínhamos amor suficiente para todos, e assim fomos em frente e a adotamos. Christian era realmente um menino muito auto-suficiente, que cuidou de si a maior parte do tempo. Ele comia qualquer coisa que era colocada em sua frente, e eu o encorajei a pedir qualquer comida que ele quisesse se estivesse com fome, lhe assegurando que nunca seria repreendido por isso. Com uma dieta saudável, ele rapidamente engordou e cresceu para compensar o tempo perdido, e, na verdade, ele era muito alto para sua idade quando tinha seis anos.

Quando trouxemos a bebê Mia para casa, Elliot foi um pouco evasivo por ter outro membro em nossa família, mas Christian simplesmente a adorou desde o primeiro dia. Seu amor e preocupação por ela o fez falar mais comigo, por exemplo quando corria para me buscar, se ela estava mexendo em seu berço, ou se ele achava que ela precisava de alimentação ou uma mudança de fralda.

– Mamãe, mamãe venha agora. Bebê Mia precisa de você, mamãe, – ele me pedia, com um puxão insistente em minha roupa.

Ele passara horas apenas observando-a dormir, tocando suavemente sua bochecha ou acariciando seu cabelo de bebê escuro sedoso. Foi uma revelação, um marco decisivo. Este era o menino maravilhoso, doce, carinhoso que estava escondido por tanto tempo atrás de seu medo.

Christian foi capaz de ir para a escola normal, mas ele achou difícil. Ele ainda não suportava ser tocado de forma alguma. Ele não fez amigos, e tinha um temperamento muito agressivo que poderia explodir com uma fúria incontrolável à menor provocação. Ele era excepcionalmente brilhante, e achou a escola chata, porque tudo era muito fácil e não oferecia nenhum desafio a ele. Estávamos relutantes em deixá-lo ir para um nível mais avançado com crianças mais velhas, pois sentimos que ele precisava desenvolver suas habilidades pessoais primeiro, mas, no fim, cedemos, e ele acabou tendo um monte de aulas com seu irmão mais velho.

Elliot era o protetor de Christian, mas também tinha um pouco de medo dele, pois ele tinha visto seu temperamento violento em plena vazão. Mas a boa natureza e temperamento natural de Elliot significou que ele sempre tentou cuidar de seu irmão, e eu estava orgulhosa dele por isso. Eu expliquei a ele quando adotado Christian pela primeira vez que ele havia sido tratado de forma muito indelicada quando era pequeno, por isso era nosso dever como sua família compensar isso, dando-lhe muito amor.

É claro que quando seus hormônios adolescentes começaram aflorar, Christian se tornou um pesadelo. Seu temperamento violento frequentemente vinha à tona como uma vingança. Ele se envolveu em um monte de problemas e foi expulso de duas escolas por brigas. Eu também suspeitava que ele estava bebendo, e eu ainda temia que ele pudesse entrar nas drogas como sua mãe biológica havia feito. Segundo o que havíamos descoberto sobre ela, ela tinha sido uma menina extremamente inteligente que ganhou uma bolsa de estudos de matemática na faculdade, mas então se juntou com más influências e se envolveu com drogas, foi quando ela se viciou em crack e cocaína. Isto a levou ao abandono da faculdade e acabando como uma prostituta. Sua família havia morrido em um acidente de carro, então ela não tinha a quem recorrer.

E de alguma forma, nesse momento, eu podia ver a história se repetindo, enquanto Christian parecia marcado para seguir um caminho semelhante de auto-destruição. Foi um momento muito preocupante, e naquela época eu me considerei sortuda por ter o apoio da minha amiga Elena, que ofereceu seu ombro para eu chorar, enquanto eu desabafava minhas preocupações sobre o meu filho.

Carrick e eu insistimos que Christian devesse ter aconselhamento, mas isso não pareceu ajudar. E então, quando ele tinha quinze anos, chegando aos dezesseis, ele de repente pareceu se acalmar. Talvez seus hormônios se assetaram, talvez o conselheiro daquela época finalmente conseguiu alcançá-lo. Seja lá o que fosse, ele se estabeleceu, se empenhou nos estudos e, finalmente, entrou em Harvard.

Christian odiava Harvard. Não era tanto o fato de estudar – ele achou alguma coisa relacionada com economia e negócios incrivelmente fácil – Eu acho que era seu estilo de vida. Nós tentamos convencê-lo a desistir da criação de sua própria empresa, quando ele tinha apenas um ano para completar o curso, mas ele já estava decidido. Carrick ficou furioso com ele, e eu não tenho bem certeza se ele realmente o perdoou, mesmo depois dele se tornar tão bem sucedido. Christian pode ser um dos jovens mais ricos na América agora, mas ainda irrita o pai o fato dele ser uma gota fora d’água, pois ele acha que ele deveria ter visto as coisas em Harvard antes de se lançar no mundo dos negócios.

Visto como as coisas estão agora, estou muito orgulhosa do incrível sucesso de meu filho, mas estou preocupada com sua felicidade pessoal. Ele era um lindo menino, e quando cresceu se transformou em um jovem muito bonito e atraente. Ele literalmente tem as mulheres desmaiando aos seus pés, e ele ainda não mostra nenhum interesse em qualquer uma delas. Ele pode ser totalmente encantador quando quer, mas isso é o mais longe que ele vai. Christian nunca trouxe uma garota para casa, o que não parece natural para mim. A maioria dos jovens, como Elliot, tem um monte de namoradas a ceder livremente seus sentimentos e necessidades naturais.

Então, eu cheguei à conclusão de que Christian não está interessado em mulheres, e que ele é provavelmente gay. Eu nunca o vi com um parceiro gay, então eu só posso supor que ele é celibatário. Quando ele era pequeno só Deus sabe o que ele via sua mãe prostituta fazendo para descontrair seus clientes, e talvez isso ajuda a explicar por que ele é reprimido e celibatário. Acho que eu deveria pelo menos ser grata por ele não acabar como um desses jovens perturbados que têm gostos incomuns e depravados.

Então, enquanto eu caminhava até o elevador para o seu apartamento, eu temia que os traumas de sua infância ainda o afetasse, agora que Elliot tinha me falado de suas preocupações, de que ele estava se tornando recluso. Eu não podia suportar a idéia dele ficar sozinho e, potencialmente, tendo pensamentos negativos que poderiam colocá-lo no caminho para a auto-destruição novamente. Agora que ele tinha superado sua meta de se tornar super-rico, quais os novos desafios que ele poderia encontrar? Ele tinha todo o conforto material que ele poderia possivelmente querer, mas eu sabia que isso não era o suficiente para alguém ser verdadeiramente feliz.

Carrick e eu fomos muito abençoados com nosso casamento feliz, e meu maior desejo era que Christian encontrasse um parceiro – gay se isso é o que o faria feliz – para compartilhar tudo o que ele tinha. Tudo parecia tão sem sentido.

Quando cheguei a seu apartamento e Taylor me disse que Christian ainda estava na cama, meus piores temores se concretizaram. Sabendo o quanto ele ainda tinha dificuldades para dormir, e que nunca dormia tarde, a única razão que eu poderia imaginar para ele estar na cama a esta hora do dia era que ele estivesse, de alguma forma doente. Eu insisti com Taylor que tinha de vê-lo, e com determinação caminhei em direção ao seu quarto.

Marcia Gay Harden

Todos os fins de semana um novo capítulo 🙂

PD. deixar um comentário se você quiser acompanhar a história.

  • juliana almeida

    Onde acho esse livro urgenteee meu deussss

  • Deise Bueno

    Anciosa pela continuação…

  • Di

    Quero receber todas as informações e continuação desta linda historia

  • Tatiana Gomes Gomes

    quero muito ler o restante

  • Tatiana Gomes Gomes

    quero muito ler o restante

  • jeisse Vaz

    gostei muito,quero continuar lendo essa linda historia

  • Ariane Gabriel LeandroSilva

    Queria acompanhar os próximos capítulos

  • Simone Silva Barros

    Gostei muito e estou ansiosa para continuar os próximos capítulos.

  • Erenir de Sant’Anna

    Olá. Não pare de escrever, está muito bom. Essa escrita, que como outras foi despertada pela autora de Christian, nos remete a quanto essa história pode render de preocupações com crianças e adolescentes, com os profissionais que cuidam da criança e mesmo com a família desamparada para reger algo na vida cotidiana dos adolescentes. Ellen James talvez nunca saiba exatamente o que ela construiu. Seus admiradores são mais que fãs de sua história, esperam ampliar a discussão entre os intervalos de imaginação de cada linha, desde o diário de Anastásia até versões de seus demais personagens. Parabéns! Continue, vou esperar para ler cada capítulo seu. Beijus!

  • Carla Dias

    Muito legal, quero continuar acompanhando…

  • Cintia Silva

    Quero muito ir além….continuar lendo esta fascinante história….demais ver pelo ângulo da mãe …..

  • lane reis

    Quero muito ler a continuação

  • Claudia Freitas

    Quero ler a continuação❤👏

  • Sónia Marisa Gouveia

    Parabens…. esta muito bom..
    Onde encontro a continuaçao?

  • Amanda Campos

    Oi..quero acompanhar sua fic! Vc irá continuar?

  • Milena Barbosa Monteiro

    eu tambem gostaria de acompanhar, vc vai continuar?

  • Erenir de Sant’Anna

    Continue, linda. está muito boa a sua versão. eu gostaria sim de acompanhar. pode publicar. Logo isso aqui se encherá de comentários. Alez!

    • Celin_Angela

      Fifty Shades Darker

      Visit Here : BLEND-MOVIES.US

  • Heliana Bertelli

    Ansiosa pela continuação da fanfiction